A quem interessar possa

Diz o Expresso que Sócrates viajou hoje em executiva e Passos Coelho em económica num voo de Paris, cumprindo a regra que impôs ao executivo.

Tão perto e tão longe, o primeiro viajou em classe económica, obrigado pela regra que impôs a todo o governo no início do mandato. Livre de tais constrangimentos, o ex-primeiro e comentador dominical da RTP viajou em executiva. Onde, aliás, era o único passageiro.

Pois viajei no mesmo voo que o Gaspar na quarta-feira passada e estou em condições de confirmar que o ministro não respeitou a dita regra, viajando em executiva.

É isto importante? É. Para responder às parvoíces do Expresso.

25 thoughts on “A quem interessar possa”

  1. se era nessa classe que ele se deslocava a portugal,porque motivo havia de mudar,se não cobra nada à rtp pelo seu comentario semanal? passos coelho para o que produz devia deslocar-se ao estrangeiro de carro de bois!

  2. “se era nessa classe que ele se deslocava a portugal,porque motivo havia de mudar,se não cobra nada à rtp pelo seu comentario semanal?”

    a rtp e o comentário semanal do sócras não são para aqui chamados

  3. A estupidez jornalistica no seu melhor.
    A estupidez do governo português ao consignar semelhante regra.
    A estupidez de Passos arriscando-se a levar uma valente vaia.
    Estes jornaleiros e estes políticos revelam a estupidez de um povo que continua a eleger cretinos como Cavaco e Passos e que se preocupam com as viagens de avião das pessoas.

  4. Sócrates gastou o dinheiro dele, que veio do salário que recebe de uma empresa privada. Se gasta esse dinheiro, ele faz funcionar a economia do país. Por isso, os senhores do Expresso terão que me explicar por que razão o efeito económico “trickle down” passou a ser mau; se é mau, então por que mecanismo alternativo o dinheiro vai parar às mãos dos mais pobres? É que os tipos da direita, em todo o mundo, criticam precisamente o Keynes porque dizem que não é preciso o Estado redistribuir; basta o efeito “tricke-down” para o dinheiro passar dos ricos para os pobres. Vão ter que explicar isso muito bem, agora…

    Na verdade, esta campanha difamatória baseia-se no velho estratagema de excitar a inveja popular relativamente ao sucesso profissional dos outros, desviando-o de reflectir sobre a forma como o funcionamento da economia pode ser melhorado em favor do cidadão comum. A notícia do Expresso está de acordo com um slogan da extrema-esquerda, dos tempos do PREC, que dizia: “os ricos que paguem a crise”. Eu suspeito que esta campanha tem o dedo de indivíduos que fizeram estágio político na extrema-esquerda…

  5. com tanto parvlove no nosso pais ,é perfeitamente natural que procure mais privacidade e segurança! lembro ,que socrates no carro andava ao lado do motorista nas suas deslocaçoes.

  6. Até há coisa de vinte anos ainda era um leitor devoto do «Expresso», que coleccionava religiosamente Sábado após Sábado (só quando casei a minha noiva impôs que mandasse para o lixo as CENTENAS de exemplares, ordenamente arrumados no respetivo saquinho plástico, aguardando a leitura dos temas menos imediatos da Revista (artigos de fundo sobre temas de Política, Diplomacia ou Economia), ou do Cartaz (crítica literária e artística, etc.).

    Há cerca de quinze anos comecei a deixar de comprá-lo com regularidade e de há uns doze anos para cá deixei pura e simplesmente de o comprar e de o ler.

    Ainda não houve uma única vez que me tenha arrependido, antes pelo contrário: de cada vez que leio algo como esta amostra fico mais ainda convencido de que não estou a perder nada.

    O «Expresso» não passa, hoje, de um PASQUIM publicitário, um «Avante!» pós-modernaço, sem interesse informativo ou formativo de espécie nenhuma.

    Lamento a falta de um jornal em Portugal como o «Expresso» foi nos seus primeiros vinte anos, mas creio que tal nunca mais se repetirá em tempo da minha geração, que já não vai viver, em média, mais do que uns vinte anos.

    Triste Portugal da verdadeira década perdida: os anos 10 do Séc. XXI!

  7. Penélope,

    o problema é que a canzoada “vem-se” com as tricas e coscuvilhices sobre o Sócrates e marimba-se totalmente para a negra realidade das suas vidas, simbolizada pelo facínora do Gaspar.

    E os “jurnaleiros” e “jurnaleiras” (para além de devota maoísta, a autora do “artiguinho” só pode ser uma gaja) sabem isso muito bem e, em vez de dar ao povão o que ele precisa, dão ao povão o que ele pede.

    Se lá em casa dela for assim, os seus putos só comem chupas e deitam a sopa e a fruta para o lixo. É assim, desta forma “exemplar”, que os “mérdia” tablóides estão a “criar” os portugueses.

  8. “parvlove,se não tem a ver com a rtp, nem com o comentario,tem a ver com?avança!”

    não tem a ver com nada, ou melhor, tem a ver com a estupidez de quem fez a notícia e dos tansos que fazem associações por impulso. um sugere que o tio do primo viu sobrinho viajar em executiva e os pavloves cá do caixote comentam que o sobrinho trabalha à borliú. resultado da liga da estupidez, ao intervalo: expresso 2 – comentadeiros 0.

  9. Até o gajo da TAP concorda comigo, cada qual no seu lugar, segundo o desempenho politico:
    “Apesar de viajar sozinho Sócrates teve uma compensação inesperada, o chefe de escala na TAP/Paris, provavelmente ainda desfasado no tempo, cumprimentou primeiro o ex e só depois o actual líder do Governo.”

  10. @parvlove
    os golos do expresso foram na própria baliza. A ideologia maoista não condiz com o restante conteúdo do jornal, e é repugnante para muitos dos seus leitores. No Correio da Manhã talvez fossem dois golaços, mas ali não. O resultado ao intervalo será:

    expresso 0 — sócrates 1 (um golo do expresso na própria baliza).

  11. “…o chefe de escala na TAP/Paris, provavelmente ainda desfasado no tempo, cumprimentou primeiro o ex e só depois o actual líder do Governo.”

    é lógico que dê prioridade a quem paga bilhete. já agora que estamos a falar nisto, alguém sabe se o moeditas viajou como bagagem de mão do prumeiro ou se veio no porão?

  12. O Coelho perdeu a oportunidade de estar com o Sócrates, com a classe executiva por conta deles, e de lhe perguntar como é aquela coisa da dívida externa, que “não se paga, gere-se”. Que não se paga, já o Coelho percebeu, mas como é que se gere?

    Era bem feito que o Coelho um dia apanhasse uma pulga ou um vizinho a cheirar mal, como já me aconteceu em carreiras da TAP.

  13. Sapo Cocas: Aí está algo totalmente improvável. Eles dizem que viajam em económica, mas o que não dizem é que, quando é esse o caso, são-lhes reservadas as primeiras filas da dita classe, rodeadas de assessores, que funcionam como tampão. Ou seja, cria-se um espaço especial em económica. Um número desnecessário.

  14. A Penélope não está a perceber, a regra de viajar em económica é para os ministros, ora o gaspar “não é ministro coisíssima nenhuma”, é o vice rei da Troika para Portugal, o miguel de vasconcelos da merkel e do schauble.

  15. qualquer papa milhas faz upgrades à pála e o passos só não o faz por parolice, se os passageiros começarem a grandolar a coisa, o gajo muda para executiva ou passa a fretar um avião.

  16. Mas, não foi o Gaspar que disse que “não tinha sido eleito coisíssima nenhuma”?

    Então, não precisa de cumprir a regra “coisíssima nenhuma”!

  17. Compreendo Socrates, eu se viajasse no mesmo vôo pagava o couro e o cabelo só para ter uma cortina bem pesada entre mim e o empecilho a que se convencionou chamar primeiro ministro de portugal.
    Por uma questão de higiene, faço questão de não voar com ratos do esgoto ao meu lado.

  18. disseram-me que há grande quantidade de chineses entre os passageiros de todos os voos europeus, principalmente na TAP. Não sei se é por isso, mas pelo menos a tripulação tem todo o direito e dever de grandolar…A multidão de seguranças costuma expulsar os cantores, como fariam neste caso?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.