Talvez já nem ele escape

ET.jpg

Manuel Alegre, não contente em incomodar os vivos e recrutar os mortos, já ameaça publicamente vir a ser o “presidente de todos os portugueses e de todos os estrangeiros” residentes em Portugal. Mas o delírio não pára aqui: ele começou a apresentar-se aos transeuntes estupefactos como o “Presidente da República”. Começo a gostar do nosso candidato-dadá.

10 thoughts on “Talvez já nem ele escape”

  1. Sim, no tempo da clandestinidade em que se encontrava com o Che Guevara escondido no cesto da bicicleta do Almeida Garrett.

  2. rico coisa que bosmecês têm aqui – mais um blogue de futilidades para veicular sectarismos,,,
    uma cambada de burguesóides! só podia atrair comentários desta índole.
    continuem, e arranjem um espelho enquanto teclam,,,

  3. Até já devem esta a fazer figas para que não haja segunda volta. Caso contrário ainda vos vou ver elogiar o poeta.Ou irão engolir algum sapo?

  4. Desde que Manuel Alegre disse que o Francisco havia errado na vocação, não pára de subir nas sondagens. Estará o Francisco a virar-se do avesso?
    A luta ia ser entre ele e este (Mário )à esquerda.
    Pivot da SIC Notícias: «No final do comício, Soares voltou a ser confrontado pelos jornalistas com as palavras de Ribeiro e Castro. O candidato respondeu assim…»

    Jornalista: «Ficou chocado com o que disse o líder do PP?»

    Mário Soares: «Não. Não foi o líder do PP que disse isso… aquela coisa a que eu me referi, do terrorismo, foi o líder do CDS que disse. O Dr. Ribeiro e Castro, que é uma coisa inaceitável e impossível… ele diz aquilo… ele é, ainda por cima, deputado do Partido Socialista… um dos grandes grupos do partido socialista é o partido socialista… é o partido socialista europeu… imagine lá como é que ele vai entender-se com os colegas de parlamento a dizer dessas coisas no plano interno!… e é feio, não é bonito… e é uma pena…»

    Uma luta entre um plagiador e um baralhador, era o que menos se esperava duma campanha presidencial.

  5. Sem dúvida medo João, medo que a legendária caganeira do Manuel te salpique como há muitos anos a Vera Lagoa avisava a querer proteger outra gente. E, dizem as línguas corrosivas, já na Argélia dos nossos antepassados anti-fascistas, quando esse temivel orador passava noites em claro a traçar planos de sonhos para capitanear uma operação sensacional que envolveria tomar de assalto uma estação de rádio em Portugal e forçar a transmissão dum seu discurso contra a ditadura, a anedota que corria nessa altura entre o resto dos exilados portugueses, incluindo o bloco familiar dos Almeidas, era precisamente àcerca do tipo de calças que ele teria forçosamente de envergar nessa operação – atadas nas canelas e largas no cu, muito em voga entre os tendeiros árabes, para evitar derramamento acidental de fezes no solo sagrado da Pátria e dar mau nome à Frente de Libertação.

    Mas como a política é a mesmíssima merda em todo o lado (és tu e outros como tu é que não sabem), nada disto irá ferir o orgulho dum homem que tem o péssimo hábito de se exceder a si mesmo quando as contracções peristálticas o afligem.

  6. Oscar (será o Otelo?), eu não percebi lá muito bem essa escatológica conversa. Pergunto-me é que tipo de conversa é que vais usar caso alegre passe mesmo à Segnda volta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *