Défice de juízo

Garcia Pereira andou pela Madeira a promover a obra de Alberto João. Parece que o candidato deseja “a mais ampla autonomia” para as nossas ilhas, se preciso for com um Supremo Tribunal por arquipélago, mantendo apenas uma vaga ideia de defesa nacional em comum com o resto do país (parece-me ideia excelente; sobretudo se tratarem primeiro da correspondente autonomia económica). O patusco candidato do MRPP tem ainda uma outra ideia original sobre a Madeira: “o que há aqui é défice de oposição”.
O homem não perceberá mesmo que a tal falta de oposição não é a raiz do problema mas sim um mero sintoma? Que oposição pode sobreviver naquela atmosfera asfixiante, marcada pelo nepotismo e pelo mais absoluto desprezo pelas regras da vida em democracia? Quem é que se sujeitaria a ser perseguido, ver bens seus expropriados e ter o nome arrastado pela lama todos os dias, apenas por brio cívico?
Parece-me que quem não entende isto não devia ser nem candidato a presidente do Benfica.

19 comentários a “Défice de juízo”

  1. Vai la deitar um olhito à minha resposta ao teu último comentário lá no meu tasco …

    [os demais leitores deculpem o nick algo descarado, mas é mesmo autoironia, o Luis Rainha é minha testemunha … espero eu …]

  2. E agora, só nos resta a denúncia do paladino Luis Rainha. Que não só persegue implacavelmente os que incorrem no pecado do plágio, como é a guarda avançada da democracia. Ó homem, toma tino e atenta aos disparates que escreves.

  3. O Zé Tim é maricas: está obcecado com a GPU e a KGB porque ficar sozinho com eles no bem bom, todo algemado numa cave da Lubianka até eles o deixarem em sangue, mas eles nunca quiseram, disseram-lhe que não queriam nada com amigos do Padre Frederico.

  4. Caro Chancho, Preferia que você fizesse críticas substanciais em vez de puros insultos, mas ainda assim, obrigado por escrever neste blogue: eu sou assim, é o meu lado catô, quando me coiso numa face, eu dou logo a outra.

  5. Eh, alto aí que esse não é o verdadeiro Luís Rainha! Eu nunca trataria o Sancho por Chancho (mesmo que pensasse), nem dou outra face coisa nenhuma!

  6. Já, filho, e eu que o digo: até o Nuno Ramos de Almeida caíu que nem um anjinho!! (Mas era gira a ideia, o Rei Camões…)

  7. O Zé Tim masturba-se à noite na cama a ler o Livro Negro do Comunismo e a sonhar com os esbirros cruéis e arbitários do regime, fechados com ele numa cave da Lubianka… O Padrrre Dâmaso já lhe disse que isso era pecado but he can’t control himself…

  8. Zé Tim, vais ser seviciado pelos comunistas; grita alto, que desta nem o Dâmaso te livra, vai haver chicotes e algemas nas caves da Lubianka!

  9. Que maravilha: até posso estar trancafiado numa reunião que chego aqui e já comentei umas coisas, mesmo sem dar por nada. Grande tecnologia, esta do Movable Type…

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *