Um caso de histeria colectiva

Basta ler os comentários que por todo o lado se fazem à notícia das recentes declarações da procuradora-geral adjunta Cândida Almeida para nos apercebermos bem de como está difundida em Portugal uma certa histeria paranóide em torno do tema da corrupção. A senhora disse afinal meia dúzia de coisas muito simples e claras, por vezes óbvias, mas a histeria epidémica impede até de ouvir o que ela diz, quanto mais tentar entendê-lo. E quem não alinhar nessa onda colectiva histérica é logo considerado suspeito ou chalado.

Quem não disser que Portugal é um país profundamente corrupto não é patriota!

 Para o cidadão médio, Portugal é um país corrupto e a grande maioria dos políticos e funcionários são corruptos, pelo facto de os media falarem quase diariamente de casos de alegada corrupção, geralmente não provada. Basta referir-se um caso, uma acusação, uma suspeita, fica logo provado não só esse caso como todos os outros. A simples distinção entre corrupção (peculato, suborno, extorsão, nepotismo, abuso de poder, etc.) e os chamados crimes económicos e financeiros (muito mais difundidos estes) devia ser ensinada desde a escola primária, tal a confusão que reina na cabeça das pessoas. As comparações internacionais também não interessam aos paranóicos nem os consolam, porque eles têm a certeza de que a corrupção é generalizada em Portugal, uma certeza baseada não em factos, mas em conjecturas e boatos, alimentados pela sanha política, pelo sectarismo e pelo bota-abaixismo.

 Primarismo e insanidade mental é o que caracteriza este fenómeno de massas, simultâneo e complementar da peste anti-política e da aversão aos políticos, que sempre foram as antecâmaras mentais da aceitação pública das ditaduras e dos autoritarismos de todas as cores. Aliás, para gente primária e paranóica, política = corrupção, consequentemente acabar com a corrupção é acabar com a política.

 Uma das consequências mais negativas desta histeria paranóide em torno do fenómeno da corrupção é que, com tanta gente a gritar ao lobo, as pessoas acabam por se desinteressar da real ameaça de corrupção e achá-la natural e inevitável. Os verdadeiros casos de corrupção atravessam incólumes por entre esta gritaria pública e, no fim, são relativizados e perdoados. Se a corrupção é supostamente “geral”, porque não se haveria de desculpar este ou aquele caso provado? “Eles são todos iguais” – diz a bacoqueira nacional.

36 thoughts on “Um caso de histeria colectiva”

  1. Exageros

    O mal da nossa lusa corrupção foi o exagero como tudo aquilo em que se exagerou estes anos todos.
    Futebol, Fátima e Fado a mais.
    Estradas e praia a mais.
    Aquilo que noutros tempos se pagava com um cabritinho ou uma galinha ou uns ovinhos para o senhor presidente, passou a partir de certa data com um apartamentinho, um carrinho ou um lugarzinho de gestor.

    Exageros!

  2. a madame castafiori é que é um verdadeiro exagero e já não há paciência para aturar merdas tipo: «Não podemos abrir investigações para ver se apanhamos alguém. Há que haver suspeitas, é verdade que o senhor está lá, é verdade que tem essa vida. Mas o que é que nós vamos fazer?» proferidas em universidades manhosas de castelo de pide. o que é que esta vaca adornada de pindericalhos tem a ver com vida dos outros e quem é que lhe paga para validar as teorias do correio da manhã. andou anos a fingir que investigava e concluiu zero, agora quer agradar à nova patroa para ver se nomeiam chefe daquele bando de incompetentes que empatam a justiça.

    http://www.letintinmovie.com/bianca-castifiore

  3. Ignatz, não tenho opinião formada sobre a senhora, porque só tenho opinião sobre coisas ou pessoas que conheça menos mal. Ora sei muito pouco sobre Candida Almeida, confesso.
    No caso da frase que cita, parece-me que a senhora respondeu a uma pergunta de um “estudante”. Que queria que ela dissesse? Ok, pronto, talvez ela devesse ter sido mais cautelosa, não tomando o que se diz nos jornais por factos realmente apurados, uma vez que ela é procuradora-geral adjunta e não pode descartar essa qualidade, nem sequer numa prelecção da Universidade da Fonte da Telha. Também não deveria abonar-se em notícias de jornais que fizeram guerra política contra Sócrates. De acordo.
    Mas eu não vim aqui defender essa senhora, mas sim comentar a histeria que vai pela internet (veja as caixas de comentários dos jornais e o atraso mental que por lá vai) a propósito das suas declarações, em que ela sustenta que Portugal não é um país especialmente corrupto e que os políticos portugueses (em geral) não são uma cambada de cleptómanos. Concordo com essa afirmação da senhora.

  4. A justificação dada pela senhora é completamente estapafúrdia. Quando alguém assiste aos casos como o de Isaltino, Felgueiras, ou dos múltiplos mesquitas que por aí pululam, acha que alguém quer saber se o crime é corrupção, peculato, favorecimento, ou o diabo que a carregue?

    A histeria resulta do sentimento generalizado sobre a impunidade relativa a crimes de colarinho branco. Em vez destas justificações absurdamente técnicas, desprovidas de qualquer sensibilidade política, algo absolutamente surpreendente em quem ocupa um cargo de tão grande responsabilidade, a senhora talvez devesse falar com os respectivos subordinados, porque eles proóprios revelaram surpreendentes dúvidas sobre a forma como a senhora exerceu as respectivas responsabilidades. São essas dúvidas, são os Isaltinos, as Felgueiras e outros que tais, em relação aos quais todos sabem como acabaram, que justificam a dita “histeria”. Não compreender isto também não abona grandemente sobre o autor do blog.

  5. “…não tenho opinião formada sobre a senhora,…”

    nem ela, parece que é independente de esquerda ou de direita consoante quem governa, mas o importante são as mordomias inerentes ao cargo e a justiça que se foda. júlio! a gaja anda nisto desde que nasceu, nunca fez nada que se visse e foi vista em tudo, só tu ainda não deste por isso.

  6. A histeria resulta directamente de duas “caracteristicas” endémicas em Portugal: A inveja e a ignorância.

    É uma mistura explosiva, alimentada diariamente pelos correios da manhã e outros pasquins similares.

    Sobre corrupção, é sempre interessante comparar as “impressões” com os factos…

    Por exemplo, existe um “corruption perceptions index” da transparency.org que é uma autêntica mina para as conversas de café. Ninguem sabe como é calculado, mas quando convem dá para mandar umas bocas.
    Neste indice Portugal vem em 32º lugar…nada honroso. MAs isto é uma mistura de coisas que é mais uma molhada de bróculos que nem sequer é comparável entre paises.

    Portanto, podemos olhar para informação mais factual. Pegando, por ex., na Nova Zelândia. Aparentemente, a campeã da transparência, ocupa o 1º lugar mundial do tal ranking…um paraiso de transparência e honestidade á face da terra.

    Quando espreitamos o inquérito que pergunta, directamente, aos cidadãos se no último ano pagaram um suborno a alguem… Na Nova Zelândia 4% dizem que sim. Em Portugal…3%.

    Alguma vez leram isto na capa do Correio da Manhã? Não…nem nunca vão ler.
    Quando perguntam aos cidadãos, sobre o periodo 2007-2010, concluem que 83% consideram que o govenro AUMENTOU os esforços para controlar a corrupção.
    83% !!! Durante o governo Sócrates?!?!
    Ficamos com a certeza que o inquérito não foi organizado pela canalha do costume.

    Miguel

    Fontes:
    http://www.transparency.org/country#NZL_PublicOpinion
    http://www.transparency.org/country#PRT_PublicOpinion

  7. Já agora….deixando de lado as “percepções” e indo directamente aos dados sobre quem EFECTIVAMENTE diz que pagou alguma coisa a alguem, para obter “favores”, sabem em que posição do ranking está Portugal ?
    aqui fica o “ranking”:
    1. Denmark – 0%
    2. Norway – 1%
    3. UK – 1%
    4. Switzerland – 2%
    5. Finland – 2%
    6. Germany – 2%
    7. Australia – 2%
    8. Korea (South) – 2%
    9. Netherlands – 2%
    10. Iceland – 3%
    11. PORTUGAL – 3%

    Bastante melhor….mas quem o disser passa por tonto.

    E já agora, mesmo daqueles que dizem que pagaram alguma coisa…tambem lhes perguntam qual foi o objectivo do pagamento.
    No caso português uns extraordinários 86% dizem que não sabem porque pagaram ou já não se lembram (a média global é de 30%)…o que indicia que mesmo naqueles 3% ainda haverá uma percentagem elevada de aldrabões que se quiz fazer de espertinho (outra caracteristica bem portuguesa…)

    Miguel

  8. O post é bom. O combate à corrupção é mais beneficiado com a serenidade e razoabilidade das palavras de Cândida Almeida do que com a popularice inconsequente de uma Maria José Morgado ou de um João Cravinho.

  9. Histeria?
    Então esta senhora que o que sabe fazer é correr para onde esteja uma câmara de TV, como se fosse um “emplastro” fazendo afirmações do género; “os políticos portugueses não são corruptos”, “Portugal não é um pais de corruptos”. no tocante aos submarinos ela até diz que “a nível europeu não há nenhuma investigação e nós temos” (aqui recebe o maior ovação dos seus seguidores), quando na Grécia e Alemanha já houve investigação e até condenação de criminosos?.
    Se as pessoas que mandam no meu país fosse gente honesta esta senhora já estaria no lugar onde todos nós lhes pagamos para trabalhar, ou seria demitida.

    http://www.publico.pt/Pol%C3%ADtica/candida-almeida-diz-que-os-politicos-portugueses-nao-sao-corruptos-1561339?showVideo=1

  10. Esta “histeria” (para usar um termo querido de PPC) muito corrente em Portugal e não só, contra os políticos em geral, como se todos eles não passassem de uma corja de mafiosos, faz parte de uma campanha cujos objectivos são bem conhecidos: levar as gentes a desinteressarem-se pura e simplesmente pelo civismo e pela política o que acaba por ter como consequência óbvia, o abrir as portas aos tais homens providenciais salvadores dos povos que dão pelo nome bem conhecido de DITADORES FASCISTAS de que a História nos dá exemplos bem conhecidos.

    Sabe-se que se o poder corrompe, o poder absoluto de uma ditadura corrompe absolutamente! Eis portanto ao que conduz a tal generalizada histeria que curiosamente tem os seu seus principais arautos precisamente nas gentes da “direita” que assim hábilmente usam a impreparação política da maioria da nossa gente para atingirem os seus intentos secretos: o poder, quanto mais total e absoluto melhor!

    Corruptos existem em todas as profissões e obviamente, a uma escala mais alta, naquelas que têm por objectivo o exercício do poder. Mas daí a dizer-se que não há político que não seja corrupto vai uma grande distância. Muitos conheço eu, diria conheçemos nós, pelos quais não hesitaria em pôr no lume minhas mãos!

    No entanto, é preciso que se diga que é precisamente na “direita” que se concentra a grande maioria dos corruptos deste país. O momento que vivemos constitue disso, uma tristíssima evidência.

  11. Post sensato, muito bem. E’ por ai sim senhor ! Convenceria (ainda) mais se não fosse a proposito de uma personalidade adulada neste blogue, mas enfim, não se pode ter tudo…

    Boas

  12. Esta Sra. devia se demitir imediatamente. Numa democracia a sério não pode fazer em publico comentários sobre a vida privada dos cidadãos que jurou servir. Já nem falo do dever de isenção… Uma vergonha!

  13. o frango zurrapa tem toda razão, uma gaja vestida com naperons crochetados não pode dizer aquelas merdas em público e muito menos em comícios de rientrez dos pêpêdez. o padreca marcelo já disse que compromete a nomeação do governo para procuradoreira da nacinha.

  14. não ouvi a maria jose morgado, na universidade, onde relvas anda iniciar o curso! .tenho boa impressão desta senhora.alguem a deve ter confundido com a populista da maria josé morgado.esta sim, não acerta uma. os portugueses dizem que os politicos são corruptos.pergunto quem os corrompe? são só chineses? noto, uma diferença abissal entre advogados e juizes e magistrados.uma boa parte, é gente que queria seguir advocacia, mas viram que aquilo era demais para a sua camioneta!são uns frustados e por essa razão, os processos dormem até prescreverem nas gavetas dos PALACIOS DE JUSTIÇA. Os que foram por vocação,são uns execelentes juizes e magistrados

  15. Não há nenhuma histeria colectiva, há factos. A senhora que não é uma senhora qq e por isso tem maior responsabilidade porque lhe passam os processos pelas mãos, disse claramente que os políticos não eram corruptos, é uma meia mentira, como é igualmente uma meia verdade. Há corrupção e há políticos corruptos, quem não quiser ver isto, então não vive no país real ou quer tapar o sol com a peneira em nome de interesses pouco legítimos e de partididarites absolutamente agudas.
    A senhora é mesmo filiada no PS?
    Com os melhores cumprimentos

    PS: ser imparcial, de facto, dá imenso trabalho, já que é preciso ver sempre de todos os ângulos

  16. Não há corrupção em portugal!o unico corrupto, é o senhor nevoa que foi apanhado com a boca na botija pelo Zé.o resto é tudo gente seria, quando não se ri…

  17. O H Soares tem razaõ quando pergunta se a Senhora é mesmo filiada no ps. os indicios são fortes com tantos socialistas à solta como: oliveira e costa,dias loureiro.duarte lima e mais no sei quantos ladrões no bpn, e isaltino de morais.

  18. Quem é que disse, aqui ou em qualquer outro lugar, que “não há corrupção ” ou que “não há políticos corruptos” em Portugal? Desde que nasci, nunca ouvi NINGUÉM fazer tais afirmações. Discutir opiniões que ninguém tem é chato, cansativo e inútil. Todos os portugueses têm opiniões diferentes sobre tudo, por isso não é necessário inventar opiniões que ninguém tem para as debater ou para dar show de indignação. Temos milhões de opiniões reais para discutir.

    Cândida Almeida afirmou que HÁ corrupção em Portugal (como em todos os países do mundo e arredores), mas que não se pode definir Portugal como um país corrupto e acusar a classe política portuguesa em bloco de corrupta. Quem quis compreender outra coisa está a desconversar segundo o velho modelo da regateirice lusa.

    Obrigado, Miguel, pelas informações.

    Ignatz, nunca prestei muita atenção a essa senhora, já confessei o meu pecado. Mas não tenho a certeza que ela “nunca fez nada que se visse”. Presumo que no cargo dela o que se faz ou não faz não vem no dia seguinte nos jornais. Mas se ela aparece duas vezes nos media a responder ou a prestar contas de qualquer coisa, é logo acusada de protagonismo mediático. Concordo que é ambíguo e meia-insinuação o que ela disse sobre o Sócrates («é verdade que o senhor está lá, é verdade que tem essa vida. Mas o que é que nós vamos fazer?»). Mas antes ela tinha dito que sem suspeitas concretas não há investigação, o que é correcto.

  19. mais cego, de facto, é aquele que não quer ver. os indícios da corrupção tal como a Maria Rita dizstão aí à solta :”oliveira e costa,dias loureiro.duarte lima e mais no sei quantos ladrões no bpn, e isaltino de morais”.
    A drª Cândida está em campanha para Procuradora-Geral, portanto convém-lhe dizer isso.
    Claro que não há mais corrupção em Portugal do que na América, ou noutros países, nomadamente em Angola que o governo português tanto defende, ou em todos os outros países do mundo, a questão é de escala e se a drª Cândida tem estudos comparados não os invocou, nem os podemos inferir do que disse, mas apenas o que disse. Há muito mais corrupção em Portugal do que havia e não ten a ver com partidos, o PS tem corruptos, mas mais, mais deve ter o PSD CDS, não sei, não tenho estaísticas, mas que o país esté, tem uma cultura de corrupção lá isso tem e, não passa só pela política, embora esses devam dar o exemplo.
    Regateirice lusa passa por não comentar fanatismos clubisticos ou partidários.
    Não os incomodarei mais, porque não são bons anfitriões.

    Declaração de princípios: Não sou partidária de nenhum partido, nem tão pouco simpatizante, embora me custe engolir a palavar socialista no partido socialista com práticas verdadeiramente não socialistas.

  20. H Soares, por favor!não queira para o nosso pais,o que outros apos anos de sofrimento rejeitaram.O ps é há muito um partido de matriz social democrata.Lembra-se, quando soares meteu o socialismo na gaveta? ainda bem que o fez.Outros puseram-no na “merda”.Os nomes dos partidos em portugal,estão fora da realidade.O pcp é comunista? apoia regimes comunistas? onde? o BE é socialista? como? udp+psr+politica XXl,dá algergue espanhol, como se tem notado.vão acabar por defender a social democracia e ainda bem.Esqueça o seu socialismo, que não existiu! nem existe em lado nenhum! e pense numa sociedade mais justa fraterna e DEMOCRATICA que convem não esquecer.O nosso SNS e o ensino publico,nada fica a dever aos dos paises do norte da europa.Sao paises mais ricos? pois são,mas não é só a gestão que os faz mais ricos.H.Soares não abandone o aspirina pois é bom termos contraditorio.

  21. Em Portugal nunca se fez um combate sério à corrupção. O argumento da inversão do ónus da prova, para vetar a lei do enriquecimento ilícito, foi um argumento da treta. Mais não digo por que não é necessário.

  22. Todos nós conhecemos uma história por perto de corrupção, de um favor simpático demais, de um truque para fugir aos impostos, de um suborno disfarçado, entre outros.

    Se há histeria em torno do tema? Há, é normal. Facilmente extrapolamos os nossos pequenos atos corruptos, ampliamos o seu peso quando pensamos em poder, talvez por sabermos que se nos corre bem a nós, meros mortais, a elite deve ter melhores resultados.

    Puro sentimento de culpa independentemente de ser verdade o nível de corrupção.

  23. Júlio, boa posta. Somos corruptos? Claro que somos, mas do mesmo modo que são os “nuestros hermanos”, os os vizinhos e os vizinhos dos seus vizinhos.
    Somos os piores? Claro que não, pois há muito pior por aí e não é só em África, na América Latina ou na Arábia.
    A Cândidinho deveria ter dito o que disse? Secvalhar não, pois ocupa lugar de responbsabilidade e visibilidade suficiente para ter mais decoro e preparação no discurso.
    Temos muitos indícios à vista? Mas que indícios? Quem afinal conhece os processos? Eu não conheço, e a maioria do povaréu também não, daí que todos falem da partitura que ninguém conhece mas assobiem a música que lhes vão dando.
    O Miguel atirou para a mesa alguns números interessantes, mas talvez fosse bom que não deixemos fugir a nossa maneira de ser em que pedinchar o favor é um hábito.
    Mas será corrupção? Se esse hábito for seguido de uma simpática notita ou de prenda bem embrulhadinha, certamente que é, e não são só os políticos que as dão ou as recebem, não é verdade?

  24. Portanto, a sua explicação é que o portugues médio é um simplório não patriota.
    Com todo o respeito, vá áquele sítio. Paris, por exemplo.

  25. Nightwish.se o seu texto é a comentar o do teofilo m.tenho a dizer-lhe que todos os dias se compra e vende favores a todos os niveis.há gente que só faz favores a troco de dinheiro, outros fazem-nos por boas razões, mas o outro lado gosta de os recompensar. esta realidade é só portuguesa? julgo que não. o fascismo deixou-nos este modus operandi como herança.

  26. Maria Rita o facismo tem a culpa de tudo. Este argumento não lembra ao diabo. Parece o Álvaro Pereira a dizer que a culpa do desemprego é do anterior governo, quando o governo a que pertence faz tudo para aumentar o desemprego.

  27. Porque sofro de insanidade mental, por favor explique-me: porque razao a corrupcao em Portugal nao e’ provada? Porque a corrupcao em Portugal nao existe? ou porque quem tem o dever de investigar se esta nas tintas.

  28. Não era desta cavalheira que o Almeida Santos (o da explosão das pontes) dizia que “é a nossa (lá do ps) mulher” não sei onde, isto é, no organismo do aparelho judicial (ai que quase que me mijei) português?

  29. Julio,temos que ir para a rua.A justiça não pode continuar a delapidar o pais.é uma impunidade total.tal como na politica na justiça tambem não há almoços gratis.mandam os pobres para a cadeia para inglês ver.é urgente,gritar bem alto a nossa revolta!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.