Lençóis americanos

livro_gastar_palavras.jpg

Sabia que 10% dos lençóis vendidos nos Estados Unidos são fabricados em Portugal? Eu também o ignorava, até lê-lo numa citação do «Expresso», que encima um conto de Paulo Kellerman (1974, Leiria).

O que você também não sabe (e, se sabe, pertence a um selectíssimo círculo) é que há magníficos contos portugueses, alguns topo de gama, que têm uma circulação discreta. Que ninguém se admire, pois, se lhe disserem que «As sirenes que tocam», esse conto de Paulo Kellerman que nos leva às camas americanas, é uma absoluta jóia. Apareceu publicado no volume Pequenas Nuvens Solitárias Perdidas no Imenso Azul do Céu, Leiria, Sem Editora, 2001. Não creio que você o tenha aí à mão.

Mas o que você tem à mão, e aqui mesmo, na coluna da direita neste seu ecrã, é o link para o blogue A Gaveta do Paulo, onde pode vasculhar tranquilamente.

Uma entrevista com Paulo Kellerman está aqui.

De resto, acabam de sair as suas estórias Gastar Palavras, na Deriva Editores. Ainda não li. Mas, e cito mestre Prado Coelho (não a propósito deste livro, mas num idêntico gesto de fé na humanidade), «terei de procurar».

3 comentários a “Lençóis americanos”

  1. Uma absoluta joia, realmente não vejo melhor forma para o descrever. Li esse pequeno volume num bar em Leiria – O Alinhavar em 2001 e tenho imensa pena de não ter podido ficar com um exemplar. Publicação fabulosa!

  2. Nós aqui no Alinhavar somos suspeitos! Somos muitos… os leitores do Kellerman…
    Mas, por acaso, também gosto desse conto dos lençóis…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *