Só há uma forma de testar o acordo da esquerda

A direita não se cansa de repetir que o acordo da esquerda não presta. Que é fraquinho. Que não é sequer um acordo. Que não passa de uns papelitos mal amanhados que os líderes dos partidos assinaram talvez por não terem mais o que fazer naquele dia. O que não deixa de ter piada. Mas, afinal, o que seria, no entender da direita, um bom acordo? Sequer existe, nas suas cabeças, tal possibilidade? Claro que não. Por isso, não se percebe por que razão não querem provar que têm razão. E só há uma forma de isso acontecer: Cavaco dar posse ao Governo do PS.

Se, tal como afirmam, o acordo não garantir um Governo estável, não têm com o que se preocupar, nem precisam de fazer a triste figura de sugerir revisões da Constituição para que haja novas eleições, já que estas serão inevitáveis independentemente de quem ganhe as Presidenciais. Novas eleições essas que, após o fracasso do Governo do PS, a direita ganharia com a tão desejada maioria. Com o bónus de a esquerda ficar arredada do poder nos próximos anos e de tão cedo não se voltar a ouvir falar de acordos. Só vantagens, portanto.

Contudo, a direita prefere tudo menos provar que tem razão. Porque será?

3 comentários a “Só há uma forma de testar o acordo da esquerda”

  1. O acordo não fala dos temas fraturantes…. mas têem receio que os partidos queiram impor temas fraturantes
    O PS estar sozinho no governo é mau…..mas haver uma frente de esquerda no governo também
    O acordo tem que ser público…… mas em 2011 ninguem viu o acordo entre cds e psd
    o acordo demorou muito – não é sólido…….. mas se fosse assinado no 1º dia de cruz – não era sólido.
    Querem tudo e o seu contrário, arre!!!

  2. Os casamentos e as adopções estão aprovadas com alguns de-putedos do PS de pé, mas alguns um bocadinho curvados a olhar para os pés .

    Nitidamente engoliam sapos!

  3. Porque será ? Simples, eles sabem que tão cedo não voltam ao Pote!
    A conversa dos pafiosos sobre fragilidade, acordo assinado às escon-
    didas, parece a conversa da raposa que não chega às uvas e, para não
    dar parte de fraca diz que não prestam … estão verdes!
    Ou então são mais burros do que nós pensamos … embora tenham
    por lá uns “espertos” tipo hugo ajudante do montecoiso, deixando
    de reserva o chefe da bancada do PP o magalhães da brilhantina!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *