Se Passos ganhar com tanta incompetência às costas é um génio

A direita está eufórica. As eleições, que estavam praticamente perdidas, é como se já estivessem ganhas. Para Marcelo Rebelo de Sousa, “se Costa ganhar com o processo Sócrates às costas é um génio.” Mas, se calhar, o iluminado Professor está a esquecer-se de um pequeno pormenor: a incompetência crónica do Governo de Passos e Portas. Será que a detenção de Sócrates desencadeou alguma mutação genética que impedirá os membros do Governo de meterem água dia sim, dia sim, daqui até às eleições? Será que os ministros passaram de extremamente incompetentes, a merecerem ser remodelados, a brilhantes governantes? Será que, graças a Sócrates, os partidos da coligação vão finalmente acabar com a guerra constante com que se têm entretido?

E mais, o Professor está a esquecer-se que o PS está mais do que habituado a disputar eleições com processos, ou pseudo-processos, às costas e a ganhá-las mesmo assim.

12 comentários a “Se Passos ganhar com tanta incompetência às costas é um génio”

  1. Se Costa não tem sido empurrado à força fora tempo, pela brigada do alzeimer, tinha tempo de entrar sem sair chamuscado.

    Agora mija na mão e deita fora.

  2. Eu avisei,…., este costa é brutus, primeiro traiu o seguro e agora quase nem conhece o sócrates, nem deixa os amigos defendê-lo…

  3. A batalha naval joga-se com dois quadros idênticos divididos em 100 quadrados, definidos por um número de 1 a 10 e algumas letras de P, S, D, P,P, B,E, C,D, U

    Cada jogador coloca a sua esquadra em posição, preenchendo um determinado número de quadrados — um navio de 4 canos (couraçado) é formado por 4 quadrados contíguos, horizontais, verticais ou diagonais; um navio de 3 canos (cruzador) ocupa 3 quadrados, e um navio de 2 canos (torpedeiro), 2 quadrados. A esquadra pode ainda incluir um porta-aviões (com 5 quadrados) c submarinos (com 1 quadrado). Os dois jogadores têm obrigatoriamente esquadras iguais e cada um desconhece a localização da esquadra adversária.

    O jogo começa com o primeiro tiro disparado por um dos jogadores. Os tiros são indicados pelo número e letra correspondentes ao quadrado alvejado. O adversário deve então informar se o tiro atingiu o alvo e qual o tipo de navio atingido. Todos os tiros que errem o alvo são «na água», embora em algumas versões do jogo se designe por tiro «a rasar o alvo» o tiro que acerte num quadrado contíguo a um navio; esta fórmula dá ao atirador indicações acerca das posições do inimigo.

    Os jogadores atiram à vez e têm direito a um disparo adicional se acertarem num alvo; cada um marca no seu quadro o quadrado alvejado, de forma a saber onde caíram os tiros que disparou. Um navio vai ao fundo quando todos os quadrados que o compõem são atingidos, c o jogo termina quando toda a esquadra de um dos jogadores tiver sido afundada.

  4. Como é que o professor Marcelo Karamba sabe que Costa vai ter de disputar eleições com o “processo Sócrates às Costas”? Já informaram o senhor professor doutor que isto está para durar pelo menos até às eleições? E então não será válida a pergunta de que o processo para além de ser obra de vingança e ódio também faz parte da agenda política do partido do senhor Marcelo Karamba? E aquele senhor sabe de tudo isto e não há quem o detenha?

  5. Como é que o Marcelo o sebe?
    Até eu que não tenho uma bola de cristal já o pressinto.
    Lembra-se das pilhas Duracell?

  6. Maria Abril……no seu “saudosismo fanático” está comk o raciocínio completamente obnubilado.
    Ainda não percebeu. Nada.

  7. O Simão vive numa realidade paralela do resto do país. Ou isso ou só liga a televisão para ver a Casa dos Segredos.

  8. não ia votar PS por varios motivos, perante tudo o que se está a passar, sou obrigado a tal, o PS contará com o meu voto!

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *