Por estranho que pareça, não somos todos economistas

Não é preciso ter nenhuma bola de cristal para adivinhar que no centro do debate de logo à noite vai estar a Economia. Vai girar tudo à volta de números e contas. Umas porque estão certas e outras porque não existem, como se na plateia só estivessem economistas. Mas não estão. Na plateia vão estar os portugueses, aquele povo que não é conhecido por ter níveis de literacia muito elevados e que, por acaso, até tem na matemática um dos seus calcanhares de Aquiles. Cá está um tema que podia, e devia, ser debatido, já que é um dos principais problemas do País. Adiante.

Apesar de não ser o nosso forte, não é preciso ser muito entendido na matéria para saber que as contas relativas ao futuro podem estar muito certas hoje e daqui a uns meses nem por isso. Não digo que não se devam fazer e apresentar aos eleitores, mas, só para dar um exemplo, algum dos economistas responsáveis pelos programas eleitorais dos partidos consegue prever o que acontecerá à economia mundial caso a China não trave a crise que por lá se abateu? Pois. Mas já que vão insistir nas contas, se calhar fazia sentido apresentarem também algumas relativas ao passado, sobretudo aquelas que teimam em não aparecer. Deviam ambos apresentar contas que nos elucidassem acerca do impacto que teve na economia, por exemplo, o investimento nas energias renováveis, ou o peso que têm tido nas exportações as empresas que resultaram do investimento em ciência e tecnologia, ou o que se ganhou ou perdeu com o SIMPLEX. No fundo, saber se estas e outras ideias se traduziram em benefícios para o País ou se foram mais um contributo para a bancarrota socialista de que fala a coligação.

E, já agora, porque é mais do que certo que se vai falar desse desastre, o dos governos socialistas, e do perigo que corremos todos se voltarem ao Poder, que nos lembrem, ambos, com ou sem contas, em que estado é que esses governos encontraram o País depois de governados pela direita. É que quem os ouve…

9 comentários a “Por estranho que pareça, não somos todos economistas”

  1. António Costa a esmagar!
    ” O senhor está com saudades de debater com o Eng. Sócrates ? Olhe que ele agora já está em melhores condições para debater consigo ! Porque é que o senhor não vai fazer-lhe uma visita lá a casa para debater com ele ? ”
    Mas ca GANDA MOCADA NA TOLA!

  2. Também não percebo porque razão o Passos de Ferreira terá saudades de debater, seja lá o que for, com o Sócrates…

  3. passos coelho ganhou a socrates o debate,por que sousa tavares precisava que o ciclo politicoterminasse,para apresentar o livro que escreveu.e por isso declarou que passos esmagou josé socrates.hoje costa esteve em grande, e jogou sempre ao ataque ,tendo na sua frente um mentiroso compulsivo que é perigoso por não ter um pingo de vergonha na cara.quanto há segurança social há que rever pretendido.só os burros é que não mudam e costa provou mais do que uma vez que de burro não tem nada.

  4. socrates, vai responder a passos coelho.há coisasque foram criticadas que tiveram o aval do psd.o tgv da direita tinha cinco linhas.haja pudor nos argumentos!

  5. Deviam ambos apresentar contas que nos elucidassem acerca do impacto que teve na economia, por exemplo, o investimento nas energias renováveis, ou o peso que têm tido nas exportações as empresas que resultaram do investimento em ciência e tecnologia, ou o que se ganhou ou perdeu com o SIMPLEX. No fundo, saber se estas e outras ideias se traduziram em benefícios para o País ou se foram mais um contributo para a bancarrota socialista de que fala a coligação.
    (ora foi isto, precisamente, que Costa desvalorizou. e de que maneira)

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *