Perfil: patéticos

A triste figura que Marcelo Rebelo de Sousa e Santana Lopes fizeram ontem a contorcerem-se todos para encaixarem no perfil que Cavaco traçou para o seu sucessor, ao mesmo tempo que tentavam desesperadamente excluir outros possíveis candidatos, anula a ideia, defendida por muitos, de que pior do que Cavaco na Presidência é impossível.

Contudo, é revelador. O que os levará a esforçarem-se tanto para seguirem os conselhos do Presidente mais incompetente e impopular de sempre? Só encontro uma explicação, estes passarões sabem bem que Cavaco terá muito peso, ou mesmo a última palavra, na escolha do candidato que o PSD apoiará.

Mas nem isso justifica que se comportem pior do que a maioria dos miúdos que se candidata à presidência das associações de estudantes. Esses, normalmente, sabem o que querem e o que valem, não ficam à espera que ninguém lhes trace o perfil, e muito menos os antecessores.

5 comentários a “Perfil: patéticos”

  1. A atitude só revela que eles não passam de meros traquinas!
    Será difícil concretizar-se o dito popular; atrás de mim virá quem
    de mim bom fará! Mas, pela reação dos traquinas não é de pôr as
    mãos no lume, foram criados pela comunicação social, não se lhes
    conhece alguma obra/acção a não ser pelos maus motivos!

  2. O esforço de Santana e Marcelo para encaixar no perfil defenido pelo parolo de Boliqueime recordam-me as equivalências da licenciatura de Relvas.
    – Santana já foi a Badajoz comprar caramelos.
    – Marcelo esteve em Ayamonte petiscar calamares.
    Encaixam, portanto!!

  3. O Cavaco o quê?
    Mas ainda há quem não compreenda a extensão da nulidade que o idiota representa?
    Se algo de substantivo sair daquela boca, é porque lhe foi ditado pelo “conselheiro ” Balsemão, sem qualquer margem para dúvida.
    Nao acredito nessas teses que lhe atribuem peso político no partido. O homem está completamente senil e a miserável credibilidade que lhe conseguem forjar deve-se ao esforço sobrehumano de grande parte dos jornalistas que vão colando os cacos com cuspo.

  4. Aie, ó Bieira, depois de tere lido o que escrebestes, lembrei-me logo de tie, tás abere, oue seja, o balsemãoe tá pró Cabacu, comu os linques estãoe pra tie. Tás a bere o conceito de nulidade é de factu mointo abranjente. oqueie.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *