Nunca ouviram falar em infecções hospitalares?

Uma coisa é ver o Hugo Soares, cuja única especialidade é a de usar vítimas mortais como arma de arremesso político, a culpar o Estado pelo surto de Legionella. Outra coisa é ver os jornalistas a mostrarem a sua ignorância em relação às infecções hospitalares. O Paulo Tavares, por exemplo, que até critica o PSD por estar a “cavalgar o momento”, faz igual ou pior. Para este jornalista, é incompreensível que os cidadãos que procuram tratamentos de rotina num hospital público acabem infectados com uma bactéria potencialmente mortal. Compreende-se, ainda por cima, como revela aos leitores, esteve há dias com o filho num grande hospital público. Aparentemente, o que o choca é que este surto tenha surgido num hospital, como se nunca tivesse ouvido falar em infecções hospitalares. Mas elas existem, são um gravíssimo problema, são causadas por inúmeras bactérias, algumas resistentes aos antibióticos, e são responsáveis por milhares de mortes por ano. Em 2013, por dia, 12 pessoas morreram com infecções hospitalares. Um número sete vezes superior ao das vítimas de acidentes de viação. Não se percebe, portanto, por que raio os jornalistas só se preocupam com a Legionella.

Mas se é para provar que, mais uma vez, o Governo está a falhar, façam-no em grande. Ponham-se à porta dos hospitais e abram os noticiários diariamente com o número de vítimas e o nome das bactérias responsáveis pelas infecções. De caminho, chamam a atenção para um problema que é global e cuja resolução, nada fácil, depende de todos. E talvez deixem de pensar que sem Legionella os hospitais são locais seguros para levarmos os nossos filhos.

15 comentários a “Nunca ouviram falar em infecções hospitalares?”

  1. isso que propõe deveria ser feito. os custos da falta de higiene , de obras , de tudo que faz com que agora haja milhentas infecções hospitalares são estrambóticos. gastam carradas de massa a operar as pessoas , carradas de massa a tratar as evitáveis infecções e depois o doente vira fiambre ?? santa paciência. é um desperdício de dinheiro dos contribuintes muito grave.

    gostava de saber se nos hospitais privados há também infecções hospitalares a pontapé , por acaso sabe?

  2. “gostava de saber se nos hospitais privados há também infecções hospitalares a pontapé , por acaso sabe?”

    se não sabes, pesquisa e depois òpina. estúpida de merda, além de ignorante, acha que os outros são criados dela.

  3. e nem preciso pesquisar : um hopital privado não pode arriscar ter no curriculum milhentas infecções hospitalares… ficava sem clientes.

  4. Parabéns Yo!
    No hospital privado não há infecções hospitalares nem greves. Não há carreiras profissionais nem formação profissional que custa dinheiro. Não há doentes economica e socialmente carenciados.
    É tudo topo de gama e com o melhor curriculum!

  5. bem , formação profissional há-de haver , é obrigatória. e doentes socialmente carenciados também. há muitas pobres pessoas ricas . E coitados dos económicamente carenciados que têm de ir para e espécie de roleta russa que é agora um hospital público .

  6. Anda aqui um troll canídeo, que atende ao chamado por “yo”, que tal como sabiamente Leitão Amaro explicou ontem, também acha que a legionella ficou proibida por decreto. Ninguém é pobre senão de juízo.

  7. guida, farias bem era se interpelasses o nick da loura prensada no correio da manhã e lhe perguntasses outra e outra vez se ele pensa que está a falar com a mãe dele (estúpida de merda, como é ó pázinho?).

    E depois dizias algo ao povinho, eu agradecia-te.

  8. que irónica , Guida … claro que há infecções hospitalares no privado , agora fora de controle como no público penso que não . a malta sai de bata para a cafeteria , para fumar o cigarro lá para ´fora , os dos vários serviços entram em tudo que é sítio com a farda , trazem alianças e anéis , as casas de banho um nojo e assim . sem patrão na casa é uma balda.

  9. senhor antidireitolas , não sou um troll , sou um duende. e você , é o rafeiro de guarda do V . ? tranquilo , não lhe roubo o posto de canídeo ,

  10. Não se faça passar pelo que não é. Os trolls existem, os duendes não.
    E adoro os rafeiros seu caniche de meia-tigela,.

  11. que gentinha ignorante!

    onde há gente em grande número e em concentração há este perigo; sendo a imunidade volátil, há este perigo; os microorganismos são criativos e, por isso, há este perigo; havendo resistência bacteriana aos antibióticos – há este perigo.

    o governo é um incitador de perigos e um causador de riscos biológicos, portanto. é acabar com a estirpe humana do governo, carago! :-)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *