Os grandes desvencedores de 2006!

piores.jpg

Antes de zarpar rumo a paisagens mais condizentes com a quadra, onde me esperam quilómetros de neve fresca e matilhas de capitosas instrutoras de esqui, tenho ainda uma missão a concluir: anunciar os resultados do blogoconcurso que aqui lancei há uns tempos. Adicionando as minhas escolhas pessoais a sugestões recebidas pelos mais variados meios, lá consegui chegar a uma lista definitiva de premiados. Isto para não ficar muito atrás destes senhores, que até tiveram a gentileza de nos colocar em 4.º lugar já não sei bem de quê.
Vamos lá então passar em revista as áreas de (in)excelência agora distinguidas:


1- O mais manhoso
O blogue da “rata”, do “pau” e dos mil “rabinhos empinados” continua em grande forma. “Empinei o rabinho mais ainda, sem conseguir conter um grito pelo prazer imenso que me invadiu mais ainda e senti-o a contorcer-se, o leite dele a jorrar com força dentro de mim, enquanto me puxou levemente os cabelos, marcando a sua posição de macho dominante.” Uma obra com semelhantes qualidades vai por certo transformar-se no grande êxito livreiro deste Natal!
2- O mais sobreavaliado
Hmmm. Difícil. Basta percorrer o blogroll da querida Bomba para dar de caras com Rititis, Maresias e muitos outros fortes candidatos. Afinal, andamos nisto mais para sermos vistos do que para outra coisa qualquer, não é? Mas há que escolher. E quando o pensamento vácuo, a prosa inane, a graçola chocarreira e a falta de ideias próprias se juntam num cocktail gabado por tantos como receita genial, o vencedor está encontrado. Um pequeno exemplo da excelência da coisa: “É que, embora às vezes não pareça, a rua não existe apenas para resmungos colectivos. Há quem a utilize com a prosaica finalidade de se deslocar de um sítio para outro. E os resmungos, porque empanturram o trânsito e produzem barulho excessivo, são naturalmente desagradáveis.”
3- O mais feio
Palpita-me que a culpa não cabe a 100% ao autor. O template até é capaz de ser assim, sem tirar nem pôr. Mas a quem é que lembraria escolher semelhante monstro? Pois.
4- O mais ensimesmado
Aqui, tudo é “querido”: os amigos, o blogue, o cão do vizinho, sei lá. Entre poemas inenarráveis e abundantes doses de auto-complacência melosa, circulam fiadas e fiadas de queridas pérolas a não perder. Tudo, claro está, em torno de um astro flamejante e omnipresente: o próprio (e querido) autor.
5- A escrita mais pomposa
Uma das escolhas mais difíceis. Grandes valores do ramo pululam por toda a blogosfera. Mas alguém capaz de escrever coisas como “No interior a batalha disputada em silêncio, abafada no seu fragor para não incomodar as palavras que saltitam como notas vivas nas pautas mágicas de uma sinfonia” e “Cada vez maior na sua percepção distorcida de uma vítima enfraquecida que se agiganta, animal ferido, em cada golpe da baixeza de um chicote frustrado pela falência da humilhação presumida” merece um prémio qualquer. É muito jogo.
6- O mais alienado
Este vencedor reside em plena Twilight Zone. E só mesmo uma figurinha da TV conseguiria imaginar um mundo tão estranho, onde erros de ortografia, o mais destravado egotismo e uma alienação absoluta cabriolam em monumentos Dadá como “Eu sinto-me muito melhor a arregaçar as mangas, como o fazem poucos, talvez menos felizes, mas de muito melhor vovência!” Um must absoluto.
7- Os piores pontapés no Português
Um vencedor destacado, coisa difícil nisto dos blogues em Portugal. Mas não há pai para este homem: cada cavadela, cada minhoca ortograficamente desafiada!
8- O mais ressabiado
Tinha na ideia, confesso, um vencedor antecipado: o bom do esteves pinto. Mas este blogue, que por sinal revela infindas analogias de bossas com o citado fep, leva a raivinha, a maledicência e a inveja a novos horizontes de grandeza.
9- O mais irritante
Um mais que justo prémio colectivo para toda a plataforma weblog.com.pt. Com agradecimentos pelas horas de tentativas infrutíferas, murros na mesa, imprecações várias e mal-estar generalizado. Pior deve ser impossível.
10- O pior dos piores, tout court
Depois de tantos prémios sectoriais, o Grand Prix não lhe podia escapar. A sério: este blogue é tão estranhamente mau, tão desvairadamente alucinado, que merece visita atenta e sempre deslumbrada. Uma prosa retorcida, habitada por multidões de erros ortográficos, sintaxe inovadora, pontuação infrene. As temáticas oscilam entre a política, a questão da liberdade dos blogues (que o autor diz defender, apesar da peculiar gestão que faz dos comentários críticos, a que ele chama “vómitos”) e gajas nuas. Ele imagina-se lido por opinion makers e jornalistas, perseguido por poderes ocultos e copiado por todos. Ele julga-se informado, presciente e dono de opiniões originais. Ele tem a coragem de apontar o dedo acusador a “blogs profissionais e a pasquins com edição electrónica disfarçados de blogs” que conspiram para tramar isto tudo. Ele consegue manter uma alegre média de duas confusões e três erros por post. Ele é o maior. Aplausos, por favor, para o RE21!

15 comentários a “Os grandes desvencedores de 2006!”

  1. Luis,

    Tenho que dissentir, fortemente, em dois casos.

    Acho o «Ligações Perigosas» (o teu ‘o mais ressabiado’) um blogue fenomenal.

    E tenho um fraco pelo RE21 (o teu ‘pior dos piores’), que conheço de outras cowboyadas dele (embora não pessoalmente), e posso garantir-te que é um fulano com imenso interesse.

    Para mais, as tuas resmas de gajas – ou, mais literalmente, as tuas «matilhas de capitosas instrutoras de esqui» – está ao melhor nível dele.

  2. Eu bem afirmo que o Aspirina está cada vez mais (A)fixe.
    E tu, com esse mau feitio, fizeste-me renascer as saudades do Monty.
    Aceito a distinção em causa e os trechos escolhidos não me deixam margem de manobra para qualquer contestação.
    Uma trollitada baril, sem dúvida, que espero te tenha dado um gozo do caraças.
    E fico estupefacto por contar com a tua presença ilustre entre os leitores do meu charco, nem que seja no âmbito da construção deste Worst Of. Louvável espírito de sacrifício…

    Deixo um abraço e a certeza de que tudo farei para conservar o ceptro da pompa na selecção do ano vindouro.
    (E o Re21 que não se distraia)

  3. Fernando,

    O «Ligações Perigosas» será fenomenal, à sua maneira. Mas continua a dar provas quotidianas de um ressabiamento monumental.

    O RE21 terá o seu interesse como pessoa, mas é ainda mais fascinante como blogger. No seu blogue, as «matilhas de capitosas instrutoras de esqui» teriam de incluir pelo menos um erro ortográfico e um ponto final fora do sítio. Aí, dando de barato a dificuldade vocabular do “capitoso”, podia ser que a coisa se desse.

  4. Não compreendo a linha redactorial dos (nossos) órgãos de (des)informação. A notícia da morte do ditador chileno devia ser totalmente subalternizada face ao resultado do concurso dos piores blogues! Mas sobre este (concurso, nomeação pessoal, ou seja lá o que fôr) ninguém fala. Vou escrever ao Provedor…

  5. Sharkinho,

    Folgo em ver-te com essa saudável capacidade de encaixe. Compreendes que eu, com este feitio, lutei, lutei… mas acabei por não resistir à tentação. Citando uma das personagens do Quino, “até as minhas fraquezas são mais fortes do que eu”. É uma sina triste.

  6. Luis,

    Mas «Ligações Perigosas» é ressabiamento. Bem informado e de nítida agilidade crítica.

    Escusado dizer que eu me pergunto quem se esconde ali.

  7. Alto aí! Eu acho que há ser mau e há ser mau! O Pior, por exemplo, vê-se que fez um esforço, ninguém consegues ser tão mau sem querer. Há ali trabalho, caramba! Fez de propósito para ganhar! Não vale! O Homem-A-Dias, esse sim, é a melhor forma de mau, a mais genuina: o medíocre. O medíocre que pensa que é excelente. Dá pena e faz rir ao mesmo tempo, que é o que se pretende, ou não?

  8. E que tal acrescentar aí também, já agora, e mantendo a fidelidade à ideia original (embora invertida nos propósitos), o pior blogger 2006 ? boa?
    É que nesse caso tenho já voto a dar, a que anexo, se me é permitido, a respectiva declaração de voto. Então aí vai: o meu voto para o pior, o mais ressabiado, o mais desastrosamente incapaz de conter o fel que lhe corre nas veias, o blogger que podendo escolher falar pelo melhor (porque o é capaz) declara publicamente – e impante como se de si pudesse vir algum caso de orgulho – que se calem todos que ele vai falar pelo pior (é difícil resistir a este gargalhar á conta dos outros não é?), e que mesmo a dormir consegue lançar farpas acutilantes no amor próprio de quem nada tem a ver com as suas agonizantes dissertações, o verdadeiro, o único, o péssimo, o anti-tudo, o irmão do Cláudio Ramos da blogosfera, o inimitável Luis Rainha!!!!!

    (note caro Luis que assino sem anonimato na fantasmagórica esperança de que para o ano, quem sabe se por falta de outros alvos, a sua estimada atenção possa recair sobre mim, destas minhas virgulas que saem sempre ao lado, ou deste paleio da tanga de que o LR, erudito da escrita, felizmente está salvo. Continue assim. A blogosfera precisa deste espírito que tão bem aqui corporiza. A quadra também. Enquanto aqui estiver a dar cabo do orgulho de gente que desaguou na blogosfera pelos mesmos pretextos e motivações que o LR – ou tv não, que o que aqui provavelmente não se tolera é mesmo a plebe anónima da escrita, uma chatice para a credibilidade da blogocoisa não é? – e que a ultima coisa que precisa de ouvir é que está aqui a mais; gente que a si nada pediu, nem avaliações nem conselhos. Mas dizia eu, enquanto estiver aqui entretido a destilar gratuitamente essa sua ‘boa’ personalidade, terei eu a certeza de que não irá cair na minha Seia de natal, e muito menos no cu do peru que estiver em cima da mesa)

    Aí à rapaziada acólita, desculpem lá os maus ditos que aqui deixo, um despropósito num post que como este se revela um verdadeiro hino de simpatia, quase tão integrado como as folhas de abeto nesta quadra natalícia.

  9. Eufinégio,
    Desculpa lá, mas assim não vais lá. O teu blog é apenas foleiro e medíocre; a milhas da manhosidade do Re21. Não contes com prémios tão cedo.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *