5 comentários a “Brincar à política”

  1. De ar altivo
    Poeta não é
    Ser político talvez
    Nem que seja pela sua vez

    Valem tampouco as palavras de chumbo
    E o bailado da história
    Afinal tudo na mesma
    Excepto sua amada glória

  2. Por Gaston – Porto

    Querido Manuel: Espero que me desculpes a crueza das palavras, mas já não há paciência para te aturar. Quando as coisas estavam em banho-maria, até era engraçado ouvir as tuas tretas quixotescas, mas agora, não há pachorra. A questão do aborto devia ser aprovada sem o folclore do refendo e ponto final. O que nos preocupa são coisas mais substanciais. Queremos saber se os manos do teu partido, vão ter coragem para pôr toda a função pública a piar fininho e a contribuir de forma consistente para a diminuição do défice. Queremos saber, quando é que isso se reflecte na vidinha de todos os dias. Aguardamos, em pulgas, o momento em que, como membro do PS, nos venhas anunciar a descida dos impostos. Tudo o resto é música sinfónica.

    Comentários 1 a 1 de um total de 1

    in “comentário no Público online”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *