Intermitência

“Só vejo uma forma de eliminar esta pele eriçada, arrepiada”, explico a H., abraço apertado. “Mas tenho medo de estar, ao fazê-lo, a ir longe de mais. Afinal de contas é a primeira vez que estamos juntos. A primeira vez que estou aqui, em tua casa, a dois”, prossigo. “Não tenhas medo de o fazer. Vai. Faz”, ouço, lábios em sussurro. “Dá-me só um segundo”, peço, palavras acarinhadas. E, num movimento rápido e audaz, fecho a janela do quarto.

21 comentários a “Intermitência”

  1. :-D é tão janelântico o meu CC. :-D

    se queres, podemos voltar atrás na película do CC e metes a pila na janela imediatamente antes de ele a fechar. :-D

    (deixam de ser os pelos da h a baterem palmas para ser eu) :-D que tal, virgem ofendido? :-)

    e tu, zigg, ficavas bem a segurar nas cortinas da janela. :-D

    (ou preferes estores?) :-D

  2. Hoje vi um par de mamas, enorme, a descoberto, que me ofendeu seriamente. Como se pode andar assim na rua e já no mês de Abril? Que grandes mamas aquelas… Ainda as trago coladas ao olho.

  3. :-) pois é, vm, lá vou eu para a rua sofrer com o desprezo dos olhos alheios pelas minhas maminhas angelicais. :-(

    :-D

    o que é isso de saudades, vo?

    (não sabes que podes chupá-las pelos ouvidos sempre que quiseres?) :-D

  4. A esta entrada do CC só faltou a piada para ser anedota.
    E fiquei a pensar nos mamelinhos murchos da Sinhã. Pesseguinhos, disse ela. Quem os terá chupado assim? Não me digas que foram só os dias todos dos invernos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *