Intermitência

“Adoro quando me penetras com esse dedo, o da aliança, bem fundo em mim”, revela-me, entre um grito de prazer e outro, C. “Sim”, aquiesço. “Eu também acho que o nosso casamento está completamente fodido”, finalizo.

5 comentários a “Intermitência”

  1. Ãguniatibo é tu num teres kem te fassa aquilo ku confucio dascreve tãoe vem. Confucio pa, tense a minha admirassãoe. Nunca bi nehum czamentu ka num fosse fudidu, tás a ber, e se acim nãoe fore num há cazamentu.

    Biva a foda. Ke haja foda. Fassa-se o ku gajo da velem manda, pinocare e maninos, ku portugal tá ficare belho, kalquere dia num á fodas em purtugale, a foda tá em extinssaoe.

    Balupi, bolta a publicare o pipie mas com a carecada cumo debe sere pá, pra sere maje xamatibo tás a bere, kuando nãoe temus da recurrere à tualha da turko pra por enxima da cara, tás a bere?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *