Intermitência

“Ainda bem que trouxeste, hoje, roupa interior negra”, digo a M., semi-nua diante de mim. “Excita-te, é”, pergunta-me ela, ao mesmo tempo em que passa as mãos pelos mamilos que adivinho erectos. “Não. Mas pressinto que o meu sexo, hoje, está morto. Foi uma excelente opção teres vindo de luto”, explico.

13 comentários a “Intermitência”

  1. CC, de luto anda o meu há vários dias. Isto de se ser operado e estar com a argália uma data de tempo por anomalias tem que se diga. Se eu fosse juiz o castigo que dava aos pedófilos era uma argália durante uns tempos. Aposto que eram reduzidos drasticamente. O que vou pedindo é umas boas ocasiões para urinar e não pensar em imagens ou frases mais provocantes por causa do avolumar e com isso autoflagelar-me. Acredite que neste momento me sinto bem com ele na posição de morto. Mas, espero em breve uma diversão e desforrar-me dos danos causados. Para a minha fantasia gosto da cor vermelha, assim ele arrebita mais depressa.

  2. Manuel Pacheco, não te queixes. Pensa agora que te podes dedicar plenamente às letras e ao pensamento em veres de correres atrás de garinas voláteis.

  3. A mim doiem-me as bordas do cu e nem sei porquê. Talvez tenha abusado do piri-piri. Esta conversa sobre o luto no baixo ventre fez-me recordar uma história da guerra, em Moçambique, de um amigo que apanhou uma carga de chatos. Desesperado com a comichão lembrou-se de vaporizar aquilo com sheltox para os mosquitos. Resultado: os chatos morreram todos, mas a pele dos tomates foi pro galheiro. Ainda hoje não sabe com que embalou os pendentes, no regressou à metrópole.

  4. :-D (molinha também faz coceguinhas. é pila de baby) :-)

    pachequinho? tu vais fazer uma tourada, é, com o teu pilouro? :-D

    ó intelectual, vê se metes juízo na cabeça do pachequinho. na de cima, claro. :-)

    admira-me que tenham ficado – e não caído – pendentes, bocejo. :-)

    (não será, certamente, do piri-piri: pára de bocejar, carago.:)

  5. Sinhã, devias ter utilizado o presente do conjuntivo e não do indicativo na seguinte frase:

    Mas pressinto que o meu sexo, hoje, está/esteja morto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *