Videoclips estrangeiros (selecção 2006)

Se a amostra a partir da qual escolhi os meus 10 telediscos nacionais favoritos de 2006 ainda podia ter (algumas) pretensões de ser (quase) completa, é óbvio que tal é impossível quando se trata de fazer uma selecção dos 10 melhores vídeos do ano a uma escala (como é que eu hei-de de dizer isto?) «planetária». Só para vos dar um exemplo, tenho acesso a uma prodigiosa base de dados audiovisual chamada fastrax que disponibiliza mais de uma dezena de vídeos novos por dia (já ultrapassou os 5000 vídeos só este ano) e que ainda assim está bem longe de cobrir a produção mundial de telediscos (de repente, fiquei com vertigens). A minha selecção parte essencialmente desse (apesar de tudo, considerável) «corpus», mais alguns vídeos que consegui ver em diversos blogues e sites dedicados ao tema. Desta forma, o que deixo aqui é novamente apenas um convite para ouvirem boa música de olhos abertos e para deixarem, na caixa de comentários, outras sugestões que, miseravelmente, apenas não couberam na minha selecção devido à minha ignorância ou ao facto de o nosso sistema númerico ser decimal.

João Pedro da Costa


10. BONES (The Killers)
A estreia de Tim Burton no universo dos vídeos musicais apenas tem um senão: de ter sido feita a partir de um tema de uma banda tão sensaborona como os The Killers (nhak). Não é como dar pérolas e pão-de-ló aos bichinhos respectivos, mas anda lá perto.

9. KNIGHTS OF CYDONIA (Muse)
Como é óbvio, uma banda não necessita de contratar um realizador de cinema para criar um teledisco inspirado na sétima arte. Que o digam os Muse, que contrataram Joseph Kahn, um dos mais experientes e procurados realizadores de vídeos musicais do novo continente para dirigir esta pequena maravilha. O que é verdadeiramente digno de nota neste vídeo é o facto de ele ilustrar na perfeição o tom épico deste autêntico «Bohemian Rhapsody» do século XXI. Vejam o teledisco com atenção e digam-me lá se esta mini-compilação hilariante de cenas de Western Spaghetti, Zorro, Planeta dos Macacos e Kung-Fu devidamente regado com um toque de futurismo retro não é a cara chapada deste «Knights of Cydonia».

8. FUNERAL (Band of Horses)
Ora qui está o primeiro vídeo da minha selecção que não corre riscos de aparecer em mais nenhuma lista de «melhores do ano» (sou eu a armar-me). Da autoria de um jovem e promissor rapaz chamado Matt Lenski é assim, de caras, o teledisco que mais me (eu não me acredito que vou escrever essa palavra) «emocionou» este ano. Podem acusá-lo de «arty» e pretensioso, eu sei, mas sempre vos respondo dizendo que apenas o coloco em oitavo lugar por uma questão de pudor (e porque o 8 é o meu número preferido).

7. CELL PHONE’S DEAD (Beck)
Ano sem, pelo menos, um vídeo da autoria do grande Michel Gondry é sempre um ano pobre para a indústria dos telediscos. Apesar de nem sequer ser uma das suas grandes obras-primas (façam-me o favor de ver este, este, este ou este, por exemplo), este vídeo tem a marca inconfundível do (e nem sequer sou muito arrojado ao dizê-lo) maior realizador de vídeos musicais de todos os tempos.

6. WE ARE YOUR FRIEND (Justice vs. Simian)
Este vídeo foi sobretudo, para mim, uma grande lição de humildade. Anda um gajo como eu a ver dezenas de vídeos por dia, pensando ter atingindo algum estatuto de especialista armado ao cagalhão, quando leio a notícia que este teledisco foi o vencedor do prémio para melhor vídeo na última edição dos MTV Europe Music Awards (o único galardão que não foi atribuído através de uma votação pública, mas pelas altas esferas do canal). Se já fiquei surpreendido por nunca ter ouvido falar do vídeo (apenas da canção e vagamente), mais surpeendido fiquei ao ver que se tratava, de facto, de um prémio merecido. Realizado pela dupla Rozan & Schmeltz, meninos e meninas, o vídeo que me fez mais rir em 2006.

5. HERE IT GOES AGAIN (Ok Go)
É o maior sucesso video-musical do ano. Ou como se transformam 400 dólares de orçamento e um plano fixo filmado num único take em 2 mil milhões de visualizações no YouTube.

4. PONEY (Vitalic)
Eu tinha dito que «We Are Your Friend» foi o vídeo que me fez mais rir em 2006? Mentira.

3. OVER & OVER (Hot Chip)
É um meta-vídeo da autoria de Nima Nourizadeh. Mostra os bastidores de uma das mais antigas e utilizadas técnicas de filmagens de telediscos: o chroma-key. É também uma das minhas músicas favoritas do ano.

2. SILENT SHOUT (The Knife)
Em primeiro lugar, os The Knife são responsáveis pelo meu disco favorito de 2006. Em segundo, o tema que dá o título ao disco, «Silent Shout», é a minha música favorita do ano. Depois, Andreas Nilsson foi o realizador que mais vídeos com qualidade produziu em 2006. Finalmente, desde pelo menos Eraserhead de David Lynch, que um pedaço de celulóide não me atirava de forma tão violenta ao tapete. Muito adequado à quadra natalícia.

1. DAYVAN COWBOY (Boards of Canada)
Sobre este não tenho nada a dizer.

João Pedro da Costa

2 thoughts on “Videoclips estrangeiros (selecção 2006)”

  1. oh, fiquei um bocado decepcionada com o video dos killers, esperava melhor do tim :| mesmo para uma musica daquelas.
    Quanto ao video dos Knife tá interessante mas axo que o anterior “we share our mothers health” bem melhor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *