Todos os que se passam, passam-se na TSF

Agora que o programa Bancada Central acabou, como é que vai ser? Onde é que os maluquinhos da bola poderão lançar as suas teorias conspirativas, os seus desabafos hilariantes, os seus insultos gratuitos e as suas exuberantes demonstrações de insanidade clubístico-maniqueísta? Temo pelo bem-estar de muitas mulheres portuguesas, cujos maridos encontravam naquelas conversas nocturnas com o “sr. Fernando Correia” uma válvula de escape para as suas frustrações e formas de agressividade latente. Temo pelo futebol português, que perde de uma só vez centenas de atentos teóricos e exegetas. Temo pelo auto-estima do ouvinte Costa Pereira, do Porto, opinion maker que precisava deste cantinho do éter nacional como os restantes mortais precisam de pão para a boca.
Enfim, eis um problema a exigir reflexão profunda, petições na Assembleia, manifs nas ruas e, porque não, um Fórum TSF. Pense nisso, senhor Manel Acácio, até porque desconfio que vai herdar muita da massa crítica que ficou subitamente órfã de protagonismo radiofónico.

3 comentários a “Todos os que se passam, passam-se na TSF”

  1. Bom noite Sr. Mário Silva.
    Antes de mais parabéns pelo vosso programa. É a primeira vez que consigo entrar em directo embora já o tenha tentado várias vezes, aliás, não entendo como é possível que há meses que ligo para aí e nem chamada em espera me aparece. Podiam ver isso, que uma pessoa não sabe se está a fazer isto bem, se tem o número certo ou se tem de marcar algum código, isto hoje em dia é complicado.
    Quanto ao tema de hoje, só agora sintonizei a estação e não sei qual é! Mas tenho uma coisa para dizer, principalmente àquela gente que tem estado aí a ver os passarinhos a voar e limpou a gaiola antes do jogo acabar. Eles sabem de quem é que estou a falar. Isto neste país é uma pouca vergonha, Sr. Mário Silva. Neste fim de semana vi uma coisa como nunca tinha visto, e olhe que ando nisto há muitos anos. Sou adepto do Benfica desde que nasci mas nesse tempo as coisas andavam direito não sei se me faço entender. Anda por ai gente à sucapa, à espera de uma distracção para meter o saco no bolso, essa é que essa. Peço desculpa de alguma coisa se me excedi. Muita boa noite.

  2. Antes de mais os meus cumprimentos ao Manuel Assanhares, ao Bartolomeu Baptista, que apesar de ser portista é um tipo às direitas, ao meu camarada de armas e ainda primo Lançarote Augusto, de Santo António dos Cavaleiros, ao João Afonso Menezes, ao Manuel Oliveira, que tive o prazer de conhecer no 1256º jantar da Bancada Central, em Silvares, ao Carlos Damasceno, ilustre sportinguista que conhece melhor que ninguém o caso Mário Pardal (ele sabe do que é que estou a falar), ao Pedro de Menezes, primo de um ex-árbitro da 13º categoria, e claro, ao Rui Afonso de Melo, ao Nuno Vaz de Castelo-Branco, ao Lopo Vaz de Azevedo e ao seu irmão António de Azevedo.

    Quanto ao tema: concordo com o João Pagode! Não é como esse outro, toda a gente sabe de quem falo, que vem para aqui dizer que o golo foi metido com o rabo quando toda a gente viu que foi com o pé.

    Sr. António Correia; Boa noite!

  3. LOL
    eu gostava de ouvir a bancada central na telefonia que tenho na cozinha, enquanto cozinhava. sempre fiquei (bem) impressionada com o modo cortês, paciente, por vezes com um travo a ralhete paternalista com que o fernando correia respondia aos cromos.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *